Blog de Notícias

Moradores do DF denunciam obra que desrespeita horário permitido

Situação envolvendo a construção de um prédio no Lago Norte é apurada pelo DF Legal. Moradora diz que obra já chegou a passar da meia-noite

Uma obra na CA 11, no Lago Norte, tem incomodado pessoas que residem no local. Segundo moradores da região, que já denunciaram a situação ao DF Legal, a construção no Setor de Habitações Individuais Norte frequentemente desrespeita o horário comercial.

“A obra já acontece desde o início do ano, mas era em horário normal. No sábado ia até 12h, mas nunca ocorria no domingo”, relatou uma moradora de um edifício que fica ao lado do local, que pediu para não ser identificada. “De uns 15 dias para cá, está direto. Teve um dia que a obra passou da meia-noite”, completou.

Segundo ela, há cerca de duas semanas foram instalados refletores no local da construção, que às vezes ficam ligados durante toda a madrugada. Em vídeo feito por um morador do prédio em frente à obra, é possível ver as luzes ligadas durante a noite. Confira:

Ao Metrópoles, outra moradora da vizinhança, que também pediu para não ser identificada, disse que “o barulho é gigantesco”. “Nessa época de pandemia a gente fica o dia inteiro em casa, então é algo insuportável”, afirmou.

“Meu apartamento fica bem em frente à obra. Eles colocaram refletores bem potentes e a luz fica batendo nas nossas janelas, incomodando muito. Sem contar que é poeira o dia inteiro, a terra vai toda para nossa casa”, acrescentou.

O outro lado

A obra se trata da construção de um edifício e é realizada pela construtora Base Investimentos e Incorporações. Ao Metrópoles, a responsável pelos recursos humanos da empresa, Amanda Raquel, rebateu as denúncias se resumindo a dizer que “é muito raro passar do horário” e que se trata de uma “situação esporádica”.

De acordo com ela, a construção estava parada e “retornou recentemente”, mas ainda deve durar cerca de um ano e meio.

Ainda segundo Amanda, a Base Investimentos e Incorporações realiza a obra em parceria com a Attos Empreendimentos Imobiliários. Até a última atualização deste texto, a reportagem não havia conseguido contato com a Attos para confirmar a informação e solicitar posicionamento da empresa em relação às denúncias. O espaço permanece aberto para manifestação posterior.

Denúncia ao DF Legal

A Secretaria DF Legal informou que recebeu denúncia sobre o assunto por meio de sua ouvidoria, no último dia 25. O processo foi enviado para a diretoria da área.

Na tarde desta segunda-feira, uma equipe do DF Legal esteve no endereço e “constatou que toda a documentação do empreendimento está legal”.

O órgão já registrou, de 1º de janeiro até 30 de agosto, a fiscalização de 1.210 obras privadas, 978 construções em áreas públicas e 316 obras em área pública residencial. Foram registradas 633 obras em áreas regulares e 260 obras em área ilegal.

Obras dentro de condomínios

De acordo com Emerson Tormann, presidente da Associação dos Síndicos de Condomínios Comerciais e Residenciais do DF (Assosíndicos-DF), a associação sempre orienta que empresas que realizam obras respeitem o horário comercial, das 8h às 18h, a não ser que se trate de uma emergência.

No caso de reformas dentro de um mesmo condomínio, ele diz que é importante que haja uma comunicação entre moradores, para que vizinhos saibam horários do serviço e duração aproximada da obra.

“Especialmente agora, nesse período em que as pessoas estão mais em casa, é essencial que haja esse respeito, seguindo o horário correto e dando descanso para almoço, das 12h às 13h30. Se tiver que prolongar, que vá até às 19h”, orientou.

Tormann ressalta que nenhum síndico pode proibir obra e reforma no condomínio por conta da pandemia. No entanto, todo tipo de obra dentro das unidades e nas áreas comuns deve seguir um protocolo.

“É importante que o síndico respeite as recomendações das normas técnicas, especialmente a ABNT NBR 16280, norma de gestão de reformas nos condomínios. Qualquer solicitação do morador de reforma deve seguir esses protocolos”, ressaltou.

Reclamações

Segundo Antônio Carlos Saraiva de Paiva, presidente do Sindicato dos Condomínios Residenciais e Comerciais do DF (Sindicondomínio-DF), o sindicato tem recebido muitas reclamações relacionadas a obras em condomínios da capital durante a pandemia do novo coronavírus.

“Com reformas, aumenta a possibilidade de contaminação no condomínio, sem contar que grande parte das pessoas está trabalhando em casa e o barulho gera muitos problemas”, comentou.

Assim como a associação, o Sindicondomínio orienta que sejam feitas somente aquelas reformas emergenciais. “Furou um cano, há vazamento de gás, uma situação crítica que precisa ser resolvida com urgência”, destacou.

“Começamos a trabalhar em home office em 18 de março e temos recebido na central de atendimento muitas questões relativas a obras, algo que é delicado nesse momento”, disse. Até esta segunda-feira (31/8), o sindicato registrou 1.470 atendimentos. Deste total, 143 reclamações foram relativas a obras em condomínios.

Fonte: https://www.metropoles.com

Notícia Anterior
SP: Criança cai de prédio e morre após 3 dias internada
Próxima Notícia
Maioria dos moradores de condomínios em São Luís não sabe agir em caso de incêndio

Últimas Notícias

Menu
error: Conteúdo Protegido !!
X