Blog de Notícias

Incorporadora não pode cobrar IPTU de lote em condomínio antes de liberada a construção

Conforme Justiça de GO, o imposto somente será devido pela adquirente quando da liberação do imóvel para construir, pois antes disso não possui a posse do imóvel

A juíza de Direito Viviane Silva de Moraes Azevêdo, de Goiânia/GO, declarou abusiva cláusula em contrato de compra e venda de terreno que previa o pagamento do IPTU sem que adquirente tivesse posse efetiva do imóvel.

A magistrada entendeu que o pagamento do IPTU somente será devido pela adquirente quando da liberação do imóvel para construir, pois antes disso não possui a posse do imóvel.

A julgadora verificou ainda que o contrato é de alienação fiduciária, de modo a incidir o IPTU a partir da data da imissão na posse, consubstanciada na data em que autora for liberada para construir.

“Estando o domínio transferido à ré, nem tendo a posse direta do imóvel, conclui-se que é abusiva a cláusula contratual que transfere o encargo do pagamento do IPTU à adquirente.”

Assim, assentou na sentença que, até a liberação, toda e qualquer responsabilidade pelo imposto é da incorporadora.

O escritório Sérgio Merola Advogados Associados representou a autora.

Processo: 5162561-03.2020.8.09.0051.

Veja a sentença.

Notícia Anterior
Restrição às áreas de lazer Condomínio proibiu crianças mesmo após teste negativo
Próxima Notícia
Condomínio contrata serviço de retirada de morador de rua para prédio em SP

Últimas Notícias

Menu
error: Content is protected !!
X