Blog de Notícias

Economia de água cai e aumenta risco de rodízio mais severo

A meta de redução de 20% no consumo de água na Região Metropolitana de Curitiba, proposta pela Sanepar para enfrentamento da estiagem, está mais distante. A economia que estava em 16% recuou para 14%. Esse aumento no consumo teve impacto direto no nível das barragens da RMC, que está em 28,66% na quarta-feira (21).

“Infelizmente a primeira coisa que a chuva lava é a memória da seca. É importante lembrar que há um deficit muito grande, de 650 milímetros que deixaram de chover nos últimos 12 meses. É fundamental mantermos a campanha META20 e que o uso racional da água seja incorporado de maneira definitiva. A normalização do abastecimento só ocorrerá em 2021”, destacou o diretor de Meio Ambiente e Ação Social da Sanepar, Julio Gonchorosky.

De acordo com ele, o rodízio mais severo foi postergado porque houve a combinação da redução do consumo com as chuvas.

“Mas estamos com o sinal amarelo aceso. Se os reservatórios chegarem a 25% será inevitável adotar o novo modelo de rodízio de 48 horas sem água e 24 horas com água”, alerta o diretor.

META20  Segundo a Sanepar, é essencial que a população economize, no mínimo, 20%, da água consumida em um mês. Caso contrário, a crise hídrica que está provocando a maior seca da história do Paraná deve se prolongar.

A Sanepar já implantou um novo sistema de rodízio, mas precisa que todos colaborem para que seja alcançada a META20. Fazem parte da campanha iniciativas como conversar com as pessoas sobre o consumo consciente de água, incentivar ações de economia e a redução do uso.

Fonte: Jornal da Fronteira
Notícia Anterior
Administração do Copan, em SP, ignora risco de transmissão da Covid, dizem moradores
Próxima Notícia
Gestão de resíduos sólidos deve ser uma preocupação dos condomínios

Últimas Notícias

Menu
error: Conteúdo Protegido !!
X