Blog de Notícias

Individualização de água Sabesp libera novas opções para instalação de hidrômetros

Medida temporária atende sugestões do Secovi-SP e da Abrasip, que serão levadas à comissão de revisão da NTS 277

A Sabesp autorizou novas opções de instalações de hidrômetros para empreendimentos com grande número de unidades por pavimento.

O texto atual da Norma Técnica NTS 277 – que estabelece critérios para implantação de medição individualizada em condomínios horizontais e verticais de São Paulo –, permite apenas a instalação de até seis hidrômetros dentro da caixa protetora.

Em atendimento a pleitos do Secovi-SP e Abrasip (Associação Brasileira de Engenharia de Sistemas Prediais), a Sabesp deixa de limitar a quantidade de hidrômetros por caixa, contanto que sejam respeitadas algumas regras.

“De forma excepcional e temporária, até a revisão da NTS 277, estaremos aceitando e aprovando a instalação de hidrômetros compreendidos entre 30 cm do piso (laje ou revestimento), 30 cm do teto (laje ou forro) e 20 cm entre os hidrômetros”, informou, por meio de nota, Benemar Movikawa Tarifa, gerente do Departamento de Desenvolvimento Operacional e de Medidores da Sabesp, responsável pelo Proacqua (Programa de Qualidade e Produtividade dos Sistemas de Medição Individualizada de Água).

O representante da Sabesp informa que as sugestões enviadas pelo Secovi-SP e Abrasip serão levadas para a comissão de revisão da NTS 277, que fixa requisitos mínimos a serem atendidos pelos agentes incorporadores e condomínios para implantação de medição e emissão de contas individuais pela empresa.

O diretor de Normalização da vice-presidência de Tecnologia e Sustentabilidade do Secovi-SP, Paulo Rewald, explica que a iniciativa permite expansão da medição individualizada em São Paulo.

“Se antes trabalhávamos com um limite de seis equipamentos, agora, dependendo da altura do pé-direito do empreendimento, podemos expandir para um número bem maior de hidrômetros por caixa de medição, aumentando a mensuração individualizada das unidades habitacionais em São Paulo.”

Fonte: Assessoria de Comunicação do Secovi-SP.

Notícia Anterior
Empresa maquia danos em apartamento e terá de pagar R$ 10 mil para compradora
Próxima Notícia
Documentos do condomínio: Morador questiona ex-síndica e caso acaba na delegacia

Últimas Notícias

Menu
error: Conteúdo Protegido !!
X