Blog de Notícias

Condomínio pós-pandemia: Aprendendo mais sobre convivência

A pandemia pode servir para levar muito aprendizados às pessoas. O que este período, com mais gente em casa sendo obrigada a adquirir novos hábitos, tem a ensinar sobre convivência em condomínios?

Como aproveitar o momento que vivemos pra melhorar o dia a dia entre vizinhos?

O tempo de isolamento social, adotado por muitos para diminuir os riscos e conter o avanço do Coronavírus, alterou bastante a rotina dos condomínios.

Administradora, síndicos e moradores pegos de surpresa passaram a enfrentar uma série de conflitos.

Pandemia piora problemas antigos

Problemas que já existiam ganham força. Os ânimos se exaltam e as reclamações se multiplicam.

A preocupação e o mau humor tomam conta de todos, incluindo funcionários, prestadores de serviços, enfim toda a comunidade condominial.

Em muitos condomínios, durante a pandemia, o número de conflitos entre vizinhos nos condomínios chegou a triplicar.

Tudo vira motivo de polêmicas e brigas mesmo.

Desde a falta de informações sobre as assembleias virtuais, passando por som alto, festas em apartamentos e proibição do uso da piscina até como conduzir o fato de alguém com Covid no condomínio.

Obras são ponto alto entre tantos desentendimentos.

Ao mesmo tempo em que não podem ser impedidas, acaba atrapalhando quem vê um show ao vivo pela televisão e quer dormir até mais tarde.

Pra não falar daqueles que resolvem aprender a cantar ópera ou a tocar bateria em plena quarentena.

Responsabilidades

Todas estas ocorrências que envolvem debates acalorados devem ser tratados pelo síndico.

Munido de paciência e bom senso, cabe a ele acalmar os ânimos, apartar as brigas e relembrar certas regras que, muitas vezes, já estão na convenção e regimento interno.

Se os problemas persistem, é dele também a responsabilidade de aplicar as advertências previstas nas normas internas.

Dependendo da situação, pode haver a necessidade de registrar um boletim de ocorrência na Polícia ou acionar a Justiça de outra forma.

Viver em comunidade não é fácil. A harmonia entre uma família nem sempre acontece.

E aqui estamos falando da boa convivência entre pessoas que nem se conhecem direito.

Os condomínios oferecem muitas vantagens. Mas, por outro lado, são comuns os problemas envolvendo pets, barulho, garagens, bicicletários, funcionários, etc.

Para a convivência no condomínio ser o mais tranquila possível, em tempos de pandemia ou não, os moradores devem fazer sua parte.

Adotar as condutas que visam o respeito ao espaço que lhes pertence e pensar não só na própria comodidade, mas na dos vizinhos também.

Boa convivência no condomínio

Uma regra básica, mas muito esquecida, é que áreas comuns e de lazer devem ser bem cuidadas por todos.

Este cuidado implica em obedecer procedimentos.

As normas de uso e sobre horários, por exemplo, precisam ser cumpridas.

O síndico obedeceu aos decretos municipais e estaduais sobre o fechamento e abertura do salão de festas, academia e piscinas. Diante disso, os moradores devem obedecer.

Visando o sossego e a tranquilidade de todos os condôminos, o ideal é que estas regras sejam sempre bem divulgadas pra que todos as conheçam bem.

Independentemente se são moradores antigos ou novos.

Outro aprendizado importante durante a pandemia é sobre as normas do silêncio.

Os condomínios precisa deixar isso muito claro. Afinal, barulhos são inevitáveis.

Mas com o esforço de cada um em cumprir os horários estabelecidos, é possível evitar discussões e manter a boa convivência.

O regimento interno deve estipular os horários em que pode e não pode certas coisas, como reformas, obras maiores, mudanças, etc.

Limpa, limpa 

Durante a pandemia, um assunto muito comentado é limpeza, higienização e os perigos de contaminação.

Novos produtos aparecem e comportamentos de higiene são reforçados.

O acondicionamento do lixo também causa embates no condomínio.

Os moradores têm que se atentar pra forma como jogam o lixo fora. Redobrando cuidados e reciclando.

O ideal é que o síndico aproveite o momento pra fazer campanhas esclarecedoras sobre horários e forma correta de ensacar os lixos, fazer coleta seletiva e transportar.

Tudo pra não prejudicar a saúde das pessoas e evitar multas.

Notícia Anterior
Como lidar com o home-office em condomínios
Próxima Notícia
Homem atira em condomínio de Campo Grande com 500 moradores em plena luz do dia e faz ameaças

Últimas Notícias

Menu
error: Conteúdo Protegido !!
X