Blog de Notícias

Moradores reclamam de água suja em condomínio de prédios de Sorocaba

Segundo moradores, problema é enfrentado há oito meses

Moradores de um condomínio de apartamentos recém-inaugurado em Sorocaba (SP) relatam que estão recebendo água com barro e coloração escura, o que impossibilita o uso. No condomínio são 108 apartamentos, mas 60% já estão ocupados.

O mestre de obras, Robson Braga Mendes, em entrevista à TV TEM, conta como a água suja tem afetado os moradores. “Está prejudicando muita gente, tanto na saúde quanto financeiramente, porque está estragando roupas, máquinas de lavar e assim por diante”.

Na máquina de lavar as roupas que deveriam ficar limpas, saem sujas. Os moradores também enviaram imagens de dentro dos apartamentos. Na pia do banheiro é possível ver que a água sai escura e o umidificador do ar corre risco de estragar. Azulejos, pisos, chuveiro acabaram ficando com manchas.

As amostras retiradas das torneiras mostram a quantidade de barro que fica ao fundo dos potes e garrafas. Para cozinhar e beber só comprando água mineral .

A moradora Cátia Rosa contou à TV TEM como tem sido seus dias. “É tudo a base se galão de água mineral é a única solução que achamos, mas também está difícil ter que pagar toda semana um galão novo”.

Segundo moradores, a construtora do condomínio por três vezes já fez a limpeza na caixa d’água e reabasteceu com água limpa trazida por caminhões-pipa. Além disso, instalou um filtro na entrada da água da rua. Mas sete dias depois esse filtro já estava sujo.

A construtora fez laudos que comprovam que a tubulação e os canos dos apartamentos não têm qualquer vazamento. O trabalho foi feito por empresa especializada. Foi injetado gás de detecção e as linhas foram rastreadas com equipamento eletrônico.

O documento de 23 de dezembro de 2020 concluiu que a tubulação em questão está em perfeito estado sem vazamentos.

O segundo laudo foi emitido agora em março de 2021 e foi pressurizado gás dentro da tubulação, e também não foram registrados problemas. “A tubulação em questão está em perfeito estado, sem vazamentos”, afirma.

A síndica do condomínio Mariana Mello Marques diz que tenta resolver o problema fazendo uma reclamação ao SAAE, mas ainda não teve resposta do requerimento aberto em fevereiro.

“Já estamos assim há oito meses, não têm como consumir essa água e não tem como ficar em casa”, afirma.

A TV TEM pediu uma posição para o SAAE, mas não obteve retorno.

Notícia Anterior
“Incêndios podem ser evitados se normas forem seguidas”, alerta ABNT
Próxima Notícia
Segurança em condomínio: 6 pontos para argumentar com os condôminos

Últimas Notícias

Menu
error: Conteúdo Protegido !!
X