Blog de Notícias

Moradores reclamam de promessas não cumpridas por construtora em condomínio de Itaquaquecetuba

Moradores afirmam que várias promessas feitas na compra do apartamento não se concretizaram, inclusive o número de vagas de estacionamento, que é inferior à quantidade de moradores.

Moradores de um condomínio em Itaquaquecetuba reclamam que alguns serviços previstos em contrato não foram realizados pela construtora que fez o empreendimento. Segundo eles, nem mesmo as vagas de estacionamento foram entregues no número prometido.

Depois de cinco meses morando no condomínio, a técnica de hemoterapia Jéssica de Souza Santos e outros moradores começaram a ter problemas com infiltrações.

“Começou a dar problema de mofo e infiltrações. Recorria a eles, e eles não queriam arrumar. No final, entrei com advogado, e eles acabaram mexendo. Porém, durou pouco tempo e já voltou novamente, como está acontecendo em outros apartamentos”, disse Jéssica.

O professor Moisés Correia comprou o apartamento em 2017 e se mudou para o local em 2019. Então, os problemas começaram a aparecer. Um deles estava no estacionamento, uma vez que a quantidade de vagas é menor do que o número de moradores.

“Foi prometido para nós que teria vaga de garagem para todo mundo. Aqui são 280 apartamentos, e a gente só tem 140 vagas. É um problema, porque durante a noite não tem vaga. Chega aqui e o estacionamento já está lotado. Alguns moradores já tiveram que alugar vagas fora do condomínio. Não existe espaço na rua”.

Segundo eles, promessas da construtora também não faltam. Em um dos locais do condomínio, deveria ter um pomar, mas a área é de proteção ambiental. Os moradores também reclamam da segurança.

“A MRV disse: após receberem as chaves, vocês estarão com o empreendimento 100% concluído e, no mês seguinte, começarão a pagar o financiamento da Caixa. Não foi o que aconteceu. A gente recebeu as chaves em setembro e fomos pagando, ainda assim, os juros de obra, que é um valor que a gente paga e não recebe de volta. Ele fica perdido”, disse o professor.

“Nós temos o contrato de compra e venda, onde a MRV promete vagas para todo mundo. Temos a publicidade, que é o folder que foi divulgado para nós, onde prometem pomar, câmera de segurança, latas de lixo de coleta seletiva, e não temos isso. Temos prints de conversas com as vendedoras, dizendo que teria vaga para todo mundo, e não tem”, completou.

Foram várias tentativas de contato com a construtora e, como não houve solução, os moradores seguem procurando o direito deles.

“Entramos no Procon, no Reclame Aqui. Eu fiz algumas reclamações, o Moisés também. Ele procurou o Ministério Público. Estamos recorrendo a tudo o que conseguimos, porque, da forma que está, a gente não consegue viver”, falou Jéssica.

“O sentimento é de muita frustração, porque nós acreditamos na empresa, na palavra dos corretores, no que estávamos assinando no contrato. Não deixamos de faltar com o nosso pagamento. Pagamos a empresa, a entrada, a Caixa. Infelizmente, não tivemos o retorno que esperávamos. O sonho virou um pesadelo para nós”.

Os moradores avisaram a produção da TV Diário que as infiltrações de alguns apartamentos já começaram a ser resolvidas.

A MRV informou que uma equipe técnica está em contato com o condomínio para buscar a melhor solução para as reclamações e esclarecer dúvidas. Disse ainda que os problemas relatados estão sendo tratados, e os equipamentos de segurança foram definidos com o condomínio e serão disponibilizados em breve.

Com relação à distribuição das vagas de estacionamento, a empresa informa que elas estão estabelecidas na documentação do condomínio.

A construtora afirma que se mantém à disposição dos clientes por meio do site meuape.mrv.com.br ou pelo telefone 4005-1313.

Notícia Anterior
Espaços comuns de condomínios não podem abrir a partir de sexta
Próxima Notícia
Homem invade prédio e furta bicicleta de moradores, em João Pessoa

Últimas Notícias

Menu
error: Conteúdo Protegido !!
X