Blog de Notícias

Síndico briga com administradora de condomínio em Praia Grande e sobra até pro zelador

Responsável por condomínio em Praia Grande briga judicialmente com antiga administradora pela entrega de documentos; caso foi parar na justiça e até zelador foi envolvido

Um síndico de Praia Grande, no litoral de SP, acusou, na terça-feira (20), a antiga administradora do condomínio pelo qual ele é responsável de não entregar uma série de documentos do conjunto de moradias. O caso foi parar na delegacia e sobrou até para o zelador do condomínio à época dos fatos.

Em depoimento, o síndico afirmou que há quase um ano, em agosto de 2020, decidiu-se em assembleia pela troca da administradora do condomínio, localizado no bairro Ocian. Na ocasião, segundo o síndico, ficou acordado que a administradora deveria entregar toda documentação do local à nova administradora.

É nesse ponto que começa a pendenga, alega o síndico, pois a proprietária da antiga administradora se recusou a entregar os documentos à administradora substituta.

O condomínio, então, acionou a Justiça e, no dia 18 de janeiro deste ano, teve deferida a tutela de urgência, com subsequente expedição de mandado de busca e apreensão dos referidos documentos. Isto é, a antiga administradora foi obrigada judicialmente a entregar os documentos para a nova.

Entretanto, visitada na data por oficial de justiça, a administradora entregou a documentação incompleta. Faltam, segundo denúncia do síndico, os documentos do último ano em que o condomínio permaneceu sob a gestão da antiga administradora. E é aí que a história fica ainda mais suspeita, com envolvimento até do pobre zelador do condomínio.

O síndico afirma que questionou a administradora sobre a falta dos papéis e a proprietária lhe respondeu que já havia entregue os documentos para o zelador do condomínio, apresentando um protocolo com uma suposta assinatura do trabalhador.

O zelador, todavia, diz que nunca recebeu nenhum documento e que a assinatura dele é falsa. A administradora vai responder por desobediência no 1º DP de Praia Grande, onde o caso foi registrado.  

Notícia Anterior
Moradora denuncia que homem se passou por padre para tentar entrar em condomínio de luxo em Goiânia
Próxima Notícia
Legado olímpico: moradores retirados da Vila Autódromo relatam problemas nas condições de condomínios

Últimas Notícias

Menu
error: Conteúdo Protegido !!
X