Blog de Notícias

Condomínio pede que casais façam sexo com menos barulho e gritos em Cariacica

Recomendação inusitada foi registrada em ata de uma reunião dos moradores que proíbe também usar liquidificador depois das 20h30

Um condomínio em Cariacica pediu, em ata da última reunião, que os moradores façam sexo com menos barulho. 

“A noite é hora de descanso”, diz o recado. Segundo a síndica, que pede para que o conjunto residencial não seja identificado, a “recomendação” foi feita depois que vizinhos se queixaram com ela do barulho da, digamos, atividade noturna mais exaltada em algumas unidades residenciais. 

“Foi pedido em reunião que as intimidades de casais na madrugada sejam mantidas com menos barulhos e gritos”, reforça o comunicado.

A síndica disse que, por ela, não faria tal publicação: “Mas é algo que foi exposto na reunião de condomínio. Evidentemente, não foi falado quais os causadores dos barulhos mas eu tive que registrar essas queixas pela insistência de quem estava reclamando, como uma espécie de recado velado. Por mim, isto nem entraria na pauta. É algo que diz respeito ao cotidiano privado dos moradores”, explica. 

Para manter a identificação dos chamados barulhentos noturnos em sigilo, o documento com as recomendações foi enviado para todos os condôminos. 

Ainda na seara do barulho, um outro recado também chama a atenção ao informar que uso do liquidificador só pode ser feito até às 20h30. “Reclamaram que há gente usando o aparelho à meia-noite”, explicou a síndica.

Ela diz que os avisos são mais uma forma de orientação. “Não temos previsão de que serão aplicadas notificações ou multas, por enquanto. Para isso, precisamos ver a questão da convenção do condomínio”, informa.

Condomínio deve agir com bom senso e manter diálogo com moradores, recomenda especialista

Quando o assunto é barulho em apartamento, bom senso e diálogo constante nunca devem ser perdidos de vista. São as recomendações de Gedaias Freire, presidente do Sindicato Patronal de Condomínios Residenciais, Comerciais, Mistos e Empresas de Administração de Condomínios no Espírito Santo (Sipces). O sindicato reúne 4 mil condomínios, somente na Grande Vitória.

A pedido da reportagem do Folha Vitória, ele analisou a ata de recados do condomínio de Cariacica. Disse que, inicialmente, as queixas são comuns a outros residenciais. 

Mas, apontou exageros. “Essa recomendação de limitar o uso do liquidificador para 20h30 é excessiva. A chamada Lei do Silêncio é válida a partir das 22h. Cada morador tem uma rotina diferente. Não é possível impor o uso de um eletrodoméstico a um determinado horário. Ainda mais de um utensílio ligado à alimentação”, desenvolve.

Ele diz que não adianta impor ordens se não há previsão de aplicação de multas ou penalidades. Freire diz que o sindicato presta consultoria aos síndicos conveniados e que vizinhos barulhentos são situações comuns de reclamação. 

“É por isso que se deve ter coerência no que vai ser exigido. E outra: se essas regras não estão na convenção original do condomínio, os moradores deverão fazer uma reunião para alterar o regimento interno”, detalha.

Quanto aos sons dos casais mais animados, Freire diz que, literalmente, é uma questão de foro íntimo.

“Eu aconselharia que o síndico conversasse com os casais, falando que há pessoas que se incomodam com o barulho, tendo em vista a acústica do prédio e a presença de crianças, o que pode deixar algumas famílias constrangidas com a situação. Tudo é questão de diálogo”, aconselha. 

Notícia Anterior
Restrições em áreas comuns de prédio na pandemia não dependem de assembleia
Próxima Notícia
Moradores protestam pedindo reparos estruturais em condomínios de Cascavel

Últimas Notícias

Menu
error: Conteúdo Protegido !!
X