Blog de Notícias

Veja como condomínio deve agir em caso de infiltração

Em caso de infiltrações o elevador deve ser imediatamente desligado

Em época de chuvas e trovoadas, em qualquer sinal de infiltraçãoo elevador deve ser imediatamente desligado da energia elétrica, alerta Associação Brasileira das Empresas de Elevadores (ABEEL).

O Brasil tem mais de 500 mil elevadores, sendo mais de 80 mil instalados somente na capital de São Paulo. Meio de transporte seguro e fundamental nas cidades, os elevadores exigem algumas precauções nesta estação do ano para evitar riscos aos usuários.

Desligar o elevador evita riscos

Os condomínios devem redobrar os cuidados. As previsões para fevereiro e o primeiro trimestre de 2022 são de chuvas com volume acima da média em diversas regiões do país, especialmente no Estados de São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Minas Gerais. Chuvas mais intensas também devem ocorrer no nordeste mineiro, região do Vale do Rio Doce e no Espírito Santo, noroeste do Pará, norte do Amapá e do Amazonas e no estado do Acre, prevê a Climatempo.

Cuidados extras são necessários com os elevadores, especialmente nas regiões com riscos de enchentes, alerta a ABEEL: “Ao primeiro sinal de infiltração o acesso ao elevador deve ser interrompido. Os elevadores devem ser paralisados nos andares mais altos para evitar que o equipamento sofra com eventuais alagamentos”, aconselha Marcelo Braga, presidente da ABEEL e do Sindicato das Empresas de Elevadores do Estado de São Paulo (Seciesp). Se houver inundação, o elevador deve ser paralisado por no mínimo 48 horas após a secagem e limpeza.

Água não deve entrar no elevador

Guarda-chuvas capas de chuva também acumulam água nos elevadores e danificam os seus componentes elétricos e eletrônicos, sofisticados e sensíveis, que podem sofrem avarias e exigir reparos.

“O síndico deve orientar os condôminos a escorrerem a água de sombrinhas e capas de chuva, antes de usar o elevador. Também é importante secar as mãos antes de acionar os botões para evitar que a água entre em contato com a parte eletrônica”, sugere.

Oscilações de energia são comuns em tempestades, se o condômino ficar preso nunca deve tentar sair sozinho. “O mais seguro é manter a calma, acionar o alarme e esperar pelo resgate”, afirma Braga. Esse socorro deve ser prestado pelo técnico de manutenção, pelo Corpo de Bombeiros ou órgão responsável: “Muitas vezes a ansiedade pode colocar o passageiro em risco”, destaca.

Recomendações da ABBEL e do Seciesp para os condomínios

  • Redobre a atenção para evitar que a água das chuvas escorra para o poço do elevador;
  • Se entrar água no poço ou cabina do elevador, envie o equipamento para o último andar do prédio e desligue a chave geral;
  • Siga rigorosamente as orientações do técnico de manutenção – o elevador só pode ser religado para funcionar novamente quando o técnico autorizar;
  • Verifique se está tudo em ordem na casa de máquinas, principalmente se não há infiltrações e janelas abertas durante as chuvas, para evitar a infiltração de água e danos aos equipamentos (motor e quadro de comando);
  • Em caso de passageiro preso no elevador, informe o responsável e aguarde o resgate, que deve ser feito somente pela equipe técnica de manutenção ou pelo Corpo de Bombeiros.

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA

Notícia Anterior
Homem se arrisca ao ficar em pé na janela de apartamento em prédio em Aparecida de Goiânia
Próxima Notícia
Antigo Hotel Aymoré, no Centro do Rio, vai virar prédio residencial

Últimas Notícias

Previsão do Tempo

Menu
error: Conteúdo Protegido !!
X