Blog de Notícias

Enfermeira é agredida por vizinhos após discussão em estacionamento de prédio

Câmeras de segurança do residencial localizado na Rua Professor Augusto Lins e Silva, no bairro de Boa Viagem, registraram algumas das agressões, por volta das 18h44 da terça-feira (1º)

Uma enfermeira de 47 anos foi agredida por vizinhos após uma discussão no estacionamento de um prédio bairro de Boa Viagem, na Zona Sul do Recife. As câmeras de segurança do residencial localizado na Rua Professor Augusto Lins e Silva registraram algumas das agressões, por volta das 18h44 da terça-feira (1º).

As imagens mostram um homem e uma mulher chegando, a enfermeira descendo do carro e logo sendo agredida pela mulher. Também é possível ver quando o homem afasta a mulher e, após mais agressões, puxa a enfermeira para uma área onde a câmera não mostra. Depois, os dois vão embora. As imagens mostram, inclusive, a agressora rindo.

De acordo com a Polícia Civil, foi registrado o crime de lesão corporal na Delegacia de Boa Viagem e um homem de 49 anos e uma mulher de 30 vão responder a um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) que será encaminhado à Justiça.

A vítima contou ao g1 que os agressores são um motorista de aplicativo e a filha dele. Segundo ela, o homem mora no mesmo andar que ela.

“Na terça-feira de carnaval encontrei dificuldade para estacionar quando voltei do trabalho. As vagas são apertadas no prédio. Então liguei para a portaria e pedi que chamasse o vizinho para ajustar o carro dele e eu conseguir estacionar. Quando desceu ele já veio colocando a mão na minha cara. Depois veio a filha me agredindo. Depois me arrastaram no chão e deram chutes”, lembrou.

A enfermeira disse que não esperava este tipo de reação dos vizinhos. “Fui pega de surpresa. Achei que iriam ajeitar o carro, mas eles estavam bebendo o dia todo. Já tinha tido problema antes por vaga, porque já tinham amassado a porta lateral do meu carro, mas ficou por isso mesmo”, disse.

O g1 procurou o contato da defesa dos investigados pela agressão, mas até a última atualização desta reportagem, não obteve sucesso.

A vítima contou que está assustada e que quer que seja feita justiça. “É meu vizinho de corredor. Estamos aqui trancadas com medo de sair, até de colocar o lixo fora. Não estou conseguindo dormir. Eu preciso que a polícia realmente apure tudo e que eles sejam julgados. Isso não pode ficar impune. Não é porque eu moro sozinha com a minha filha que ele tem direito de chegar e me agredir. Só aconteceu porque sou mulher”, afirmou.

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA

Notícia Anterior
Reintegração de posse Empresa bloqueia entrada de condomínio com pedras em SP
Próxima Notícia
Coleta seletiva Prédios que não se adequarem à lei serão notificados

Últimas Notícias

Previsão do Tempo

Menu
error: Conteúdo Protegido !!
X