Blog de Notícias

Condomínios podem entrar no mercado livre para aquisição de energia elétrica

O mercado livre de energia elétrica responde hoje por 35% da eletricidade consumida no país, mas apenas os grandes consumidores conseguem se beneficiar de um ambiente de livre oferta e demanda que permite fugir da bandeira tarifária e ter uma conta de luz mais barata.

Pensando nessa economia, a APSA – líder no mercado nacional de gestão de propriedades urbanas e a Acende irão levar uma solução inovadora que pode garantir menos gasto com eletricidade aos mais de três mil condomínios administrados pela empresa e para as mais de 100 mil unidades destes prédios.

Através de uma parceria com a Acende Energia, a APSA oferecerá aos condomínios a opção de compra de energia no mercado livre, o que representará importante economia e é essencial à realidade dos condomínios, como forma de reduzir, inclusive, a inadimplência.

A conta de luz tem peso considerável nas taxas condominiais. Com acesso ao mercado livre, os condomínios e os apartamentos podem reduzir de 10% a 20% o gasto mensal com o consumo de energia elétrica.

A contrapartida dos edifícios será a assinatura de um contrato em que a Acende cuida da burocracia e da transição para o novo modelo, instalação de todos equipamentos e adequações necessárias, e ainda garante o fornecimento de energia limpa para o condomínio”, explica o diretor da Acende, Flavio Lima. 

A Acende ficará responsável pela agregação de carga dos prédios e migração para o mercado livre. O modelo é válido tanto para áreas comuns dos condomínios como para unidades. Por meio de medidores inteligentes será possível monitorar os itens da casa, da loja e do prédio e identificar onde e em que momento o consumo é maior. A instalação da solução dura de 6 meses a 12 meses. 

“O objetivo da APSA nessa parceria é levar aos seus clientes soluções inovadoras, traduzidas em sustentabilidade e economia. Nas áreas comuns dos condomínios há muito espaço para racionalizar os custos e garantir economia na conta mensal. E com essa solução levamos economia também às contas particulares de todos os moradores. A adoção dessas práticas permite ainda buscar fornecedores que operam com energia limpa, buscando cada vez mais a adequação à nova realidade ambiental”, acrescenta o diretor superintendente da APSA, Fernando Schneider.   

Enquanto as gestoras costumam trabalhar com contratos com preço fixo da energia, o marketplace oferecido pela APSA não terá bandeira tarifária e vai operar buscando sempre as melhores tarifas do mercado. Por esse motivo, a empresa entende que – ao fechar contrato e estimular a racionalização do uso de energia – conseguirá ampliar os ganhos condominiais e manter uma gestão eficiente de recursos. 

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA

Notícia Anterior
Caixa d’água de condomínio desaba, afeta moradores e interdita rua
Próxima Notícia
Síndico de condomínio de luxo do Horto Florestal é acusado de superfaturamento

Últimas Notícias

Previsão do Tempo

Menu
error: Conteúdo Protegido !!
X